SOBRE TERRITÓRIOS + PARCERIAS

Exposições, debates, performances, ocupações e mostras de filmes. Territórios ocupados com uma programação especial e ações dos parceiros durante o festival.

IMERCIDADE I PROJETO DE SINALIZAÇÃO

O projeto de sinalização do Valongo Festival Internacional da Imagem deste ano foi feito de forma colaborativa, a partir da troca dos saberes empíricos da ocupação urbana de quem nela habita e cria. O coletivo de intervenção urbana Bote, se juntou à experiência da arquiteta Marina Loeb, que agregou a essa troca sua técnica e conhecimento em urbanismo, cenografia, artes plásticas, sempre pensando na linguagem como forma de comunicação e transformação poderosíssima.
A sinalização em si é uma maneira de direcionar o olhar para uma história que você quer contar. Uma forma de criar um percurso sobre a história, ao mesmo tempo objetivo e subjetivo. Cada um vê de uma forma, optamos por destacar alguns elementos do centro, chamar atenção para o Porto. A transformação do espaço público foi uma de nossas diretrizes neste projeto. A maneira como as pessoas passam a vivenciar esses espaços, o despertar de uma linguagem visual e de outros sentidos, a possibilidade de transformar a percepção dos passantes em relação ao lugar cotidiano.

OLD | PROJEÇÕES NOTURNAS

A revista OLD convidou uma série de artistas de todo o território nacional para apresentar suas produções em uma série de vídeos que serão exibidos durante as noites do festival, nos Arcos do Valongo. Confira abaixo a lista de artistas convidados: Tiago Coelho, Marco Antonio Filho, Carine Wallauer, Thiele Elissa Wiest, Isabella Lanave, Coletivo Nítida, Walter Thoms, Vinícius Ferreira, Fabrício Brambatti, Marina Nacamuli, Leandro Furini, Carolina Cattan, Julia Milward, Anna Mascarenhas, Elsa Leydier, Helena Giestas, Gustavo Minas, Mel Coelho, Irmina Walczak e Sávio Freire, Silvino Mendonça, Diego Bresani, Rodrigo de Oliveira, Guilherme Minoti, Mariana David, Lara Perl, Analice Diniz, Alex Oliveira, Thaisa Figueiredo, Mitsy Queiroz, Shai Andrade, Adriano Machado, Clarice Machado, Rodrigo Correia, Gabriel Bicho, Cinthya Marques, Evna Moura, Gê Viana, Thalita Perfeito e Lana Pinho.

 

onde: Arcos do Valongo
quando: 05 a 07.10.17 — a partir das 22h

CIDADE INVERTIDA | SANTOS CIDADE CRIATIVA INVERTIDA

Na oficina do Cidade Invertida os participantes vivenciarão a experiência de adentrar uma câmera fotográfica gigante, observando a cena exterior à ela projetada no interior e invertida numa tela translúcida. De forma lúdica e interativa, o público praticará a fotografia pinhole (câmeras de orifício), em câmeras construídas com materiais simples como caixas ou latas, acompanhando a seguir o processo de revelação química da imagem, base da fotografia tradicional em P&B.

Que os interessados façam a inscrição pelo email cidadeinvertida@gmail.com com NOME, RG, DIA E HORÁRIO ESCOLHIDO.

 

onde: Praça dos Andradas
quando: 05 a 07.10.17 — 10h, 11h, 12h, 14h, 15h, 16h (10 vagas por horário)

onde: Sesc Santos
quando: 08.10.17 — 11h, 12h, 14h30, 15h30 (12 vagas por horário)

TERRA PAPAGALLI

A artista Livia Melzi apresenta imagens em grande formato do projeto Terra Papagalli – obra em construção – que utiliza a fotografia como ferramenta de coleta para repensar o caráter discursivo do documento. Em formato de enquete, as fotografias mostram arquivos históricos europeus que ajudaram a construir a identidade cultural brasileira. A proposta tem como objetivo convidar o público a pensar as origens iconográficas do Brasil, criando uma base de referência imagética; um ponto de apoio para se criar. E também questionar a imagem atual de um país em metamorfose.

 

onde: Praça dos Andradas
quando: 04 a 08.10.17 — instalação permanente durante o festival

CIRCO FELLINI

O projeto Circo Fellini é um espetáculo audiovisual que une música, circo e cinema de forma delicada e sensível. Embarcando na linguagem “Fellinesca” e “Clownesca” onde o absurdo e o fantástico invadem as situações comuns, Circo Fellini entrelaça filmes como “A árvore da Vida”, “O Menino e o Mundo”, com músicas de artistas populares como Belchior, Caetano Veloso e Beatles, criando pontes entre o antigo e o contemporâneo.

 

onde: Cadeia Velha
quando: 06.10.17 — 22h00 às 22h50

CREANTIA

Creantia é uma intervenção artística interativa nos moldes do jogo “Cara a Cara” (ou “Adivinhe Quem”) onde os participantes precisam adivinhar imagens por meio de perguntas respondidas pelo seu oponente. As imagens são fotos de crianças em diversos ambientes e situações registradas pelo fotógrafo santista Rodrigo Montaldi que busca incitar uma reflexão sobre o impacto do ambiente no desenvolvimento infantil.

 

quando: Museu Pelé
onde: 04 a 08.10.17 — às 21h30

SITE >>

MOSTRA CINE DEBATE

O projeto Mostra Cine Debate traz dois filmes do diretor santista Dino Menezes: “Nois da Rua’”, produzido a partir de uma passeata de moradores de rua, e o “Luz, Câmera, Inclusão, um filme sobre a Luta Antimanicomial”, que conta a história da Casa de Saúde Anchieta, em Santos. Após as exibições será realizado um debate com o diretor e os convidados especialistas nos temas, Leonel Lobo, Dino Menezes, Arlindo Cândido, Danny Stazack e Rafael Moreira (vídeo participação).

 

onde: Cadeia Velha
quando: 05.10.17 — 21h30 às 23h30

SITE >>

MOSTRA DAS MINAS | EDIÇÃO EXTRAORDINÁRIA DES.CONSTRUÇÃO

A Mostra das Minas apresenta uma seleção especial com diferentes linguagens que salientam a discussão acerca das travestis e mulheres trans forçadas a situações marginalizadas pela sociedade. Para fomentar a proposta, serão exibidos os documentários “Roupa De Baixo”, “Maria” e “Putta” com a presença das realizadoras Maria Moraes, Iasmin Alvarez e Juliana Lira para um bate-papo.

 

onde: Cadeia Velha
quando: 07.10.17 — 21h30 às 23h30

NÁUFRAGO URBANO

O projeto Náufrago Urbano é uma intervenção que “lança garrafas” em espaços urbanos contendo mensagens em forma de desenhos na tentativa de estabelecer uma comunicação com o externo. Os desenhos são do artista plástico santista Wagner Lopes que se diz “à deriva em terra firme” e usa seus desenhos para passar mensagens e dialogar com os passantes. Serão espalhadas pelo centro histórico de Santos pequenas garrafas contendo os desenhos e um endereço de um blog que explica a ação.

 

onde: Espalhados pelo centro histórico de Santos
quando: 04 a 08.10.17

SITE >>

OLD + MADALAB | EXPOSIÇÃO COLETIVA “EM CONSTRUÇÃO”

A convocatória organizada pela Revista OLD + MadaLAB recebeu mais de 250 propostas para a exposição coletiva. Depois de muita conversa, os curadores selecionaram um grupo de 14 artistas e seus registros do Brasil contemporâneo. Com esta mostra espera-se abrir um diálogo visual sobre a condição atual de nossas vidas e o que podemos construir a partir delas. Artistas participantes: Camila Falcão, Daniel Antônio Oliveira, Fernanda Vallois, Gui Galembeck, Isabella Lanave, Luis Felipe Kita, Marina Nacamuli, Mayra Galha, Paula Pedrosa, Pedro Silveira, Rafael Roncato, Ricardo Ribeiro, Samantha Oda e Simone Marinho.

 

onde: Museu Pelé
quando: 04 a 08.10.17

INSTITUTO QUERÔ | “QUE PAÍS É ESSE?”

Será exibido o resultado da oficina do Instituto Querô no Valongo Festival 2017. Durante a oficina os inscritos produzirão mini metragens (vídeos de 1 minuto) com celulares, ministrados pelos jovens formados e em formação das Oficinas Querô. Os vídeos serão editados para se tornarem um único curta-metragem chamado “Que País é Esse?”. O filme será fruto de uma imersão onde os participantes do Valongo Festival serão questionados sobre o atual momento político brasileiro. Além do vídeo, eles também criarão “traquitanas”, como suportes estabilizadores para celulares feitos de forma sustentável. O resultado será exibido no último dia do festival, domingo 08 de outubro.

 

onde: Cadeia Velha
quando: 08.10.17 – 18h

MOBGRAPHIA + TUMOBGRAFIA + ARTE NO DIQUE I PROJEÇÃO

Os moradores do Dique da Vila Gilda, a maior favela sobre palafitas do Brasil, participam de uma ação fotográfica que o coletivo TUmobgrafia e as produtoras mObgraphia e Estúdio Madalena, promoveram junto com o instituto Arte no Dique. A oficina culminará numa exposição durante o festival. Com mais de 22 mil pessoas vivendo em barracos improvisados sobre os mangues da cidade de Santos, litoral de São Paulo. Os seus incontáveis becos e vielas estreitas ocupam milhares de metros quadrados sobre o Rio do Bugre. A desigualdade social, as consequências do crescimento demográfico desordenado, o dia-a-dia de quem vive na área mais pobre da cidade, será retratado pelos próprios moradores do Dique, que sairão na companhia de fotógrafos experientes pelas ruelas da favela em busca de cenas, retratos, objetos de seu cotidiano. Tudo documentado com os seus próprios aparelhos celulares. As mobgrafias (fotografias feitas com dispositivos móveis) passarão por uma curadoria e as melhores imagens serão exibidas durante o Valongo. O objetivo do trabalho é, além de documentar como acontece a vida naquela região da cidade, contribuir para a recuperação da autoestima dos moradores.

 

onde: Museu Pelé
quando: 04.10.17 a 08.10.17 — 10h00 às 22h00


SITE >>

ARMAZÉM 12 A – OFICINA DOS BONDES I EXPOSIÇÃO

Como o bonde resistiu às mudanças dos novos tempos e permanece trafegando, de maneira tímida e nostálgica, na paisagem urbana, após 100 anos de existência? As imagens da fotojornalista Isabela Carrari nos permite espiar um pouco desse universo durante o Valongo Festival Internacional da Imagem. Pela primeira vez, abrimos as portas da oficina dos bondes para o público com a intenção de um dia o espaço se tornar um local permanente de visitação.

 

quando: 04 a 08.10.2017 — 10h às 17h
onde: SETUR

VISÕES DE UM POEMA SUJO

O projeto do fotógrafo Márcio Vasconcelos com coordenação curatorial de Diógenes Moura em parceria com a editora Vento Leste será apresentado em formato inédito durante o festival. Premiado em 2014 com o Marc Ferréz de fotografia, a série, idealizada pelo fotógrafo maranhense, nasceu a partir da leitura do Poema Sujo, de Ferreira Gullar, e virou livro. Para o festival, será criada uma instalação concebida especialmente para o espaço, com cerca de 20 imagens exibidas no bairro histórico do Valongo, ao longo dos 4 dias de festival. Uma obra inicialmente montada numa antiga construção desocupada. Agora, trava um diálogo entre São Luís do Maranhão e a cidade de Santos. A idea é trazer para o Porto de Santos uma exposição criada com a alma de São Luís.

 

onde: Ruínas do Valongo
quando: 04 a 08.10.17 — 10h00 às 22h00

MOSTRA NETUNO I LEONARDO CRESCENTI

A mostra Netuno reúne imagens de Leonardo Crescenti, nas quais céus e mares de juntam para montagem de um cenário onírico. O fotógrafo subverte as curvas de cor, altera o controle da luz, reinventa o negativo e o positivo. Com seu equilíbrio interior e pleno domínio do vocabulário fotográfico, reordena forças adversas, desafiando céus e mares. Conhecedor e frequentador do porto desde a infância, Crescenti ficou encantado com a possibilidade de se aproximar novamente da região a convite da curadora Rosely Nakagawa e do Armazém Cultural 11.

 

onde: Armazém Cultural
quando: 04 – 08.10.17 — 10h às 18h

REDE DE PRODUTORES CULTURAIS DE FOTOGRAFIA NO BRASIL I ENCONTRO DA REDE

A RPCFB é uma associação de gestores do processo de criação no campo da fotografia que atua como articuladora de interesses entre a produção cultural, os poderes constituídos e outros agentes financiadores da cultura. Seu foco é trabalhar pela consolidação econômica e qualitativa de todos os eventos ligados à produção cultural na fotografia, além de difundir e apoiar as atividades desenvolvidas por seus filiados. Durante o festival a rede promoverá um encontro baseado na ideia de articulação. Se você faz parte de alguma destas áreas de trabalho: produção, curadoria, gestão ou coordenação cultural ou se produz festivais, edita blogs, é galerista, crítico, pesquisador ou professor, para citar alguns, apareça para esse encontro.

 

onde: Setur
quando: 07.10.17 — 14h às 16h

CATÁLOGO COLABORATIVO

Neste ano o catálogo do Valongo Festival será uma experimentação total. Será produzido de maneira viva e coletiva. Formamos uma equipe através de um chamada aberta, selecionamos um grupo de talentos do texto, edição, design, ilustração, fotografia e pesquisa de imagem. A oficina editorial será coordenada por Bia Bittencourt e Ekaterina Kholmogorova e assinaremos em conjunto essa obra ainda disforme cujo conteúdo será capturado durante os dias de festival.

Resultado da convocatória:

Design e edição:
Lucas Kroeff
Paula Lobato
Ana Lobo

Fotografia e pesquisa de imagem:
Rawa Alsagheer
Gabriel Carpes
Anna Kahn

Texto:
Caio Coelho

Ilustração:
Filipe Amorim

FESTA DO REGGAE MARANHENSE

Na noite de quinta-feira o Arcos do Valongo será ocupado por uma festa maranhense, com uma autêntica radiola de reggae. A noite dialoga com a instalação Visões de um Poema Sujo, em exposição durante o festival nas Ruínas do Valongo. Bastante popular em São Luís e em todo o estado, a música jamaicana chegou por lá no meio dos anos 1970 e foi logo absorvida pelas radiolas. A festa no Valongo será comandada por Carlinhos Jah, com a participação do DJ Ras Marley e do DJ e mestre de cerimônias, Otávio Rodrigues.

 

onde: Arcos do Valongo
quando: 05.10.17 – 22h